NOTA DE ESCLARECIMENTO 3 – COPASA Esta matéria foi postada em 26 jan 2018

Diante dos últimos fatos registrados na cidade, no tocante à mudança de coloração e turbidez na água fornecida à população pela Copasa, empresa vinculada ao Governo do Estado e concessionária do serviço de abastecimento no Município, a Prefeitura de Curvelo informa que, há vários anos, INDEPENDENTEMENTE de denúncias de possíveis anormalidades, o monitoramento da qualidade da água é periódica e rigorosamente feito pela Secretaria Municipal de Saúde, por intermédio da Vigilância Sanitária, conforme determina a Portaria 2914/2011, hoje anexada pelo Ministério da Saúde à Portaria de Consolidação n. 5.

Esse monitoramento é realizado através de análises dos laudos emanados da Copasa e também de laudos resultantes de coletas periódicas feitas pela própria Vigilância Sanitária.

É importante salientar que essas coletas da Vigilância Sanitária são encaminhadas ao laboratório oficial da Secretaria de Estado de Saúde, que tem emitido laudos com resultados favoráveis ao consumo da água.

Igual monitoramento é realizado nas chamadas soluções alternativas (poços particulares).  A propósito, convém esclarecer que, apesar desse monitoramento, nenhum dos poços se encontra interditado pela Vigilância.  Ocorre que, de acordo com o Art. 12, Parágrafo Único da Portaria aqui mencionada, o Município “não autorizará o fornecimento de água para consumo humano por meio de solução alternativa coletiva {poço particular}, QUANDO HOUVER REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA, EXCETO EM SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA E INTERMITÊNCIA”.

Extraordinariamente, para NÃO restar DÚVIDAS, a Prefeitura encaminhou coleta para exame tanto ao laboratório oficial da Secretaria de Estado de Saúde quanto ao laboratório da Funed – Fundação Ezequiel Dias, sendo que ambos atestaram que a água é potável, ou seja, própria para o consumo humano de acordo parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Diante de tais resultados satisfatórios, NÃO fica, portanto, caracterizada a situação emergência.

Como se vê, o Município tem feito e sempre fez a sua parte, agindo dentro dos rigores da Lei por meio de seus órgãos técnicos de controle.

 

ALGUNS LAUDOS 2017/2018

LAUDO JANEIRO/2018

LAUDO JANEIRO/2017

LAUDO FEVEREIRO/2017

LAUDO MARÇO/2017

LAUDO ABRIL/2017

LAUDO MAIO/2017

LAUDO JUNHO/2017

LAUDO OUTUBRO/2017

LAUDO DEZEMBRO/2017